Existe uma associação entre duração curta e longa do sono e dor musculoesquelética em adultos.

Pesquisadores descobriram uma associação entre duração curta e longa do sono e dor musculoesquelética em adultos. O estudo incluiu pacientes com dor no joelho, quadril e coluna lombar, e descobriu que a privação do sono aumenta a sensibilidade a estímulos nocivos, e diminui substâncias que inibem a dor, provocando a permanência da dor nos músculos e articulações.

"Sono curto ou longo entre menos que 5 h ou mais que h está associado à dor no joelho, quadril ou coluna," diz estudo realizado na Coréia do Sul.

Dor musculoesquelética e incapacidade.

A dor nos músculos e articulações é altamente prevalente na velhice e pode ser incapacitante para as pessoas que sofrem, resultando em uma carga econômica significativa e um impacto negativo na qualidade de vida.

Dado o impacto negativo da dor, encontrar fatores de risco para a dor nos músculos e articulações ou os fatores que aumentam os resultados adversos tem sido importante.

Inatividade X Atividade Física X Lazer

Diversos estudos mostram que a inatividade física está associada a uma maior prevalência de queixas generalizadas crônicas de dor musculoesquelética.

Por outro lado, vários estudos relatam uma correlação negativa entre o exercício físico e a dor musculoesquelética. No presente estudo, o nível de exercício de um sujeito é baseado apenas no exercício de lazer. No entanto, o efeito da carga de trabalho física em áreas ocupacionais pode ter contribuído para os resultados.

Além disso, não foi possível descartar a possibilidade de que indivíduos com dor musculoesquelética não conseguiram atingir ou manter um nível moderado de atividade física.

Dor musculoesquelética e o estado psicológico.

Muitos estudos relataram que estados psicológicos ruins são mais prevalentes em pacientes com dor crónica musculoesquelética e que fatores psicológicos sugeridos são importantes no desenvolvimento da dor causada pelos músculos e articulações.

Tratamento

Uma avaliação específica com a Fisioterapia Avançada, e o tratamento dos distúrbios do sono devem ser incluídos como uma parte importante do controle da dor em pacientes com dor musculoesquelética.

O método McKenzie de Diagnóstico e Terapia Mecânica (em inglês Mechanical Diagnosis and Therapy MDT) foi criado pelo fisioterapeuta neozelandês Robin McKenzie por volta de 1956, que se especializou no tratamento dos distúrbios musculoesqueléticos que atingem a coluna e os membros (braços e pernas).

O método McKenzie não visa apenas à solução dos sintomas atuais, mas também a prevenção, em longo prazo, da incidência de novas crises.

Além de ser um tratamento rápido, eficaz e seguro, visto que geralmente são necessárias poucas sessões (5 a 7 sessões) para o alivio dos sintomas, o paciente pode fazer exercícios em casa ou no trabalho, evitando as idas ao consultório do fisioterapeuta.

A maioria dos pacientes, quando dispõe do CONHECIMENTO correto sobre as suas dores musculoesqueléticas, pode SE TRATAR com sucesso.

Dr. Abnel Alecrim, fisioterapeuta, Pós-graduação em Reabilitação Musculoesquelética e Esporte, Campinas, SP, Brasil.

Conheça o método McKenzie .

Deixe seu recado:

Entre em Contato

(19) 3308-6330

Segunda à Sexta das 8h às 18h.